A Grinalda de Ornamentos de Jóias

Collections & Cycles › Thirteen Great Texts › Bodhicaryāvatāra | Practices › Meditation | Tibetan MastersRongtön Sheja Künrig

English | Español | Français | Português | བོད་ཡིག

Rongtön Sheja Künrig

Rongtön Sheja Kunrig

Further Information:
Download this text:

A Grinalda de Ornamentos de Jóias:

Os Estágios de Meditação no Bodhicaryāvatāra

por Rongtön Sheja Künrig

Homenagem aos gurus e deidades supremas!

Com as vossas infinitas emanações em reinos para além de qualquer limite,
Fazeis girar a roda do Dharma numa vasta escala,
E conduzis os discípulos à plena maturidade - Rei dos Sábios,
E Mañjughoṣa, em devoção a vós presto homenagem!

Com o vosso discurso encantador, prodigioso além de qualquer medida,
E esplêndido de ouvir, cativastes os eruditos -
Glorioso Śāntideva, com todas as vossas muitas qualidades,
Em devoção presto-vos homenagem!

Agora, de forma a beneficiar os outros, explicarei,
Reunindo e condensando as instruções principais,
Como meditar na introdução
À via dos bodhisattvas.

No começo, o alicerce é estabelecido através da geração dos dois tipos de bodhicitta. De seguida, o texto explica os seis pāramitās (ou perfeições transcendentes), que constituem o treino no bodhicitta ativo. Finalmente, qualquer mérito obtido é dedicado à iluminação, conforme apresentado no décimo capítulo.

Entre as seis perfeições transcendentes, as cinco primeiras são reveladas como constituindo os ramos da transcendente perfeição da sabedoria, que é ela própria o verdadeiro antídoto que elimina diretamente todo o sofrimento. Como o próprio texto diz:

Todos estes diferentes aspectos do ensinamento
O Buda ensinou em prol da sabedoria.
Portanto, aqueles que desejem pacificar os seus males
Devem gerar, nas suas mentes, esta sabedoria.[1]

Qual é então, podes perguntar-te, o método através do qual a sabedoria é gerada? Tendo desenvolvido primeiramente a sabedoria de compreender as duas verdades, devemos então focar-nos no aspeto das aparências relativas e meditar na sua vacuidade, que é a verdade absoluta da sua real natureza. Ao meditarmos, precisamos de tomar estas aparências como o objeto do nosso foco, porque, sem nos focarmos numa determinada base de atributos ou qualidades específicas, não seremos capazes de eliminar as nossas concepções erróneas relativas a esses atributos. Devemos compreender bem o significado desta afirmação do Ornamento da Realização Clara:

Os objetos de foco, todos os fenómenos… [2]

O precioso Senhor Atiśa disse também:

No começo, devemos familiarizar-nos com o facto de que, ainda que desprovidas de natureza verdadeira, as coisas surgem, como truques de magia.

Ao desenvolvermos proficiência nisto, o aspeto das aparências desaparecerá como um arco-íris no céu, e poderemos repousar num equilíbrio meditativo que é como o centro do espaço.

A forma de estabelecer o aparente e o não-aparente pode também ser entendida a partir destes dois estágios.

Tens de compreender que, desta forma como o mestre Atiśa explicou, exatamente assim é a realidade.

O significado de todas as 84.000 secções do Dharma
É nisto unificado e totalmente incluído.
As instruções-chave dos letrados
São aqui explicadas, por isso medita na sequência correta. Através de qualquer mérito que haja nisto,
Brilhantemente puro, como o luar de outono,
Possam todos os seres ser libertados do oceano da existência condicionada,
E chegar à ilha da libertação e da omnisciência.

Esta grinalda de ornamentos de jóias que descreve os estágios da meditação no Bodhicaryāvatāra foi escrita por Rongtön Sheja Künrig no grande mosteiro de Pal Nālendra no ano do rabjung [isto é, no início do 8º ciclo sexagenário, 1447].

| Traduzido do inglês (Adam Pearcey, 2007) por André A. Pais, 2020.


  1. Bodhicaryāvatāra, IX, v 1.  ↩

  2. Abhisamayālaṃkāra, I, v 40a.  ↩