Meditação em Amitabha

Amitābha & Sukhāvatī | Dying & the Bardos | Tibetan MastersSakya Paṇḍita Kunga Gyaltsen

English | Português | བོད་ཡིག

Sakya Paṇḍita Kunga Gyaltsen

Amitābha, Buddha of Limitless Light

Further Information:
Download this text:

Meditação em Amitabha

de Sakya Paṇḍita Kunga Gyaltsen

Ao guru e a Mañjughoṣa presto homenagem!

Da prece Boas Acções:

Quando chegar a hora da morte,
Possa tudo o que me obscurece desaparecer, de forma a que
Eu olhe para Amitābha, ali em pessoa,
E parta imediatamente para a sua terra pura de Sukhāvatī.
Nessa terra pura, possa eu efectivar cada uma
Destas inúmeras aspirações!

Usando esta afirmação como base, darei aqui explicações relativas a uma meditação em Amitābha.

Ao preparares-te para dormir à noite, deita-te sobre o teu lado direito e pratica a tomada refúgio e geração de bodhicitta. Imagina que o lugar onde te encontras é a terra pura de Sukhāvatī e visualiza-te sob a forma da tua deidade (yidam). Considera que, diante de ti, em cima de um lótus e de um disco-lunar está Amitābha, de cor vermelha, com as suas duas mãos no mudrā da equanimidade e segurando uma taça de esmolas cheia de néctar (amṛta). As suas pernas estão cruzadas e ele está adornado com vários ornamentos de joalharia. Imagina-o rodeado por gurus e, para além destes, budas e bodhisattvas. Faz mentalmente três prostrações e recita três vezes a prática dos sete ramos da Prece das Boas Acções ou, se não a tiveres, a prece das Dez Acções Dhármicas que eu compus.

Então, na expiração, considera que a tua própria mente se dissolve no coração do Buda, fundindo-se com ele inseparavelmente. Na inspiração, considera que luz emana do coração do Buda e, seguindo o percurso da tua fala, se dissolve no teu coração, de forma a que a mente-sabedoria do Buda se funda inseparavelmente com a tua própria mente. Repete este processo três vezes.

Então, no fim, considera que os budas e bodhisattvas se dissolvem nos gurus. Os gurus então dissolvem-se em Amitābha. Amitābha, por sua vez, dissolve-se em luz e funde-se em ti. Também tu te dissolves em luz, imaginando que o Buda, a deidade (yidam) e a tua própria mente se fundem inseparavelmente. Recita a seguinte prece aspirativa:

Nesta bonita e alegre maṇḍala dos budas,
Ali nascido numa bela flor de lótus,
Nessa excelente e feliz terra de Buda,
Que o próprio Buda Amitābha
Me conceda a profecia predizendo a minha iluminação!

Adormece nesse estado, sem deixares a tua atenção deambular.

Como resultado desta prática, no futuro, deixarás o teu corpo para trás, como uma cobra largando a sua pele, para renasceres milagrosamente de um lótus na ocidental terra pura de Sukhāvatī, onde receberás de Amitābha ensinamentos do Dharma, como explicado no Sūtra Ratnakūṭa.

Esta meditação em Amitābha foi composta pelo Senhor do Dharma, Sakya Paṇḍita.

| Traduzido do inglês (Adam Pearcey, 2016) por André A. Pais, 2020.